Image
Image

O que é a Síndrome da Bexiga Dolorosa (Cistite Intersticial)

A Cistite Intersticial, também conhecida como síndrome da bexiga dolorosa, é uma doença crônica capaz de provocar na pessoa desde desconfortos até dores severas, que afetam a sua qualidade de vida, podendo ser impeditivo para a realização de diversas atividades cotidianas. Apesar de muitas vezes possuir fortes sintomas, a Cistite Intersticial não possui relação com outros problemas graves para a saúde. Essa doença é mais comum entre as mulheres, e seus maiores prejuízos estão na qualidade de vida. Não há ainda um tratamento capaz de eliminar por completo essa doença, porém existem diversas ações paliativas de efeito terapêutico, ajudando a diminuir os sintomas.

Como ocorre a Cistite Intersticial?

Normalmente, quando a bexiga está cheia, os nervos da região enviam ao cérebro sinais de urgência para urinar, porém em pessoas com essa síndrome, esses sinais são confusos e, muitas vezes, sentidos como dores fortes. Por conta disso, a pessoa acaba urinando com muito mais frequência, mesmo quando a bexiga não está cheia. É uma doença autoimune e ainda não se sabe ao certo a sua causa. Pesquisas comprovam a relação da doença com alterações no revestimento protetor da bexiga, que a deixa mais sensível a irritações advindas das substâncias tóxicas que compõem a urina. A maior parte dos casos acontece em pessoas com mais de trinta anos de idade e, nos homens está frequentemente associada a inflamação na próstata.

Quais são os sintomas da Cistite Intersticial?

Os principais sintomas são:
  • Dor na pélvis, entre a vagina e o ânus em mulheres e, em homens, entre a bolsa escrotal e o ânus;
  • Micção frequente, normalmente com pouca quantidade de urina, durante o dia e a noite;
  • Dor ou desconforto conforme a bexiga se enche ou esvazia durante a micção;
  • Dor durante a atividade sexual.

Quais são os tratamentos para a Cistite Intersticial?

Mesmo que suas causas ainda não sejam totalmente conhecidas, os tratamentos existentes têm por finalidade controlar a dor, principal sintoma da síndrome. Alguns dos principais tratamentos são:
  • Mudanças na dieta, evitando cafés, chás e bebidas gasosas, por exemplo;
  • Fisioterapia;
  • Medicações orais e locais;
  • Estimulação nos nervos da bexiga;
  • Uso de técnicas que distendem a bexiga;
  • Acupuntura;
  • Cirurgia;
Esses tratamentos porém, só são possíveis se houver uma comunicação plena entre paciente e médico, que possibilite o diagnóstico dessa doença. Muitas pessoas sentem receio ou vergonha de falar sobre determinadas dores, levando a um diagnóstico impreciso. Por isso, é muito importante que, ao sinal de qualquer sintoma, se procure um médico urologista para investigação.

Marque agora sua consulta

Invalid Input
Invalid Input
Invalid Input
Invalid Input
Imprensa

Contatos

Unidade Advance

(61) 98625-8802

(61) 3345-4200

Segunda à Sexta-Feira: 8:00 às 21:00

Sábado: 8:00 às 12:00

Unidade Santa Lúcia

(61) 3346-7612

Segunda à Sexta-Feira: 8:00 às 21:00

*Não atendemos aos sábados nesta unidade


Pesquisar

Valores

Missão

“Oferecer serviços na área de urologia com excelência e manter um atendimento humanizado”.

Histórico

Em meados de 1980, a totalidade de médicos urologistas na Capital Federal mal ultrapassava a casa dos trinta profissionais, cujas atividades se desenvolviam predominantemente no serviço público. O Hospital de Base do Distrito Federal era a unidade hospitalar onde se concentrava a maior parte destes e que tinha por escopo prestar assistência médica urológica a população de Brasília e entorno e de fomentar a formação de novos profissionais.

A prestação de serviços no setor complementar privado, em sua maior parte, era fragmentada ou mesmo praticada de forma individualista e quase sempre orbitando em torno da força do setor público.

Testemunhando o crescimento e desenvolvimento de Brasília, em 1986, quatro profissionais oriundos do Hospital de Base juntaram esforços com o núcleo do Hospital Santa Luzia, constituindo o UROCENTRO – Centro Urológico de Brasília, com sede no Hospital Santa Luzia.

O grupo inspirou-se na missão de oferecer serviços médicos na especialidade de urologia à uma clientela que, por razões diversas, demandava atendimento no setor privado, talvez por ser mais ágil e eclético.

A equipe então nascente, tinha por valores: qualidade dos serviços prestados, responsabilidade, inovação, observância dos preceitos éticos da medicina, humanização dos serviços oferecidos, atualização contínua do conhecimento da especialidade, disponibilização de novos instrumentais e tecnologias à comunidade assistida e interação com especialidades correlatas.

Em 1989, com pequenas alterações no grupo original, o UROCENTRO mesclou-se com o núcleo do Hospital Santa Lúcia e se consolidou como o primeiro grupo de especialistas em urologia de Brasília. Essa fusão levou o UROCENTRO a fortalecer suas propostas originais e a servir de modelo para a formação de outros grupos, fortalecendo o desenvolvimento da nossa especialidade em todo o DF.

Em 1992, o UROCENTRO adquiria a sua sede própria no Centro Clínico Sul, expondo-se à maior visibilidade junto ao seu público alvo e expandindo suas atividades.

No início da década de 2010, agregaram-se dois novos profissionais ao seu quadro médico, por um lado dando mais dinamismo às suas atividades e por outro promovendo a renovação dos seus quadros.

Em maio de 2011, visando dar novo fôlego a clínica e fomentar a renovação de seu quadro funcional, o grupo promoveu o desligamento de alguns profissionais, incorporou novos jovens profissionais e também estendeu um braço de atendimento no Hospital Santa Lúcia. Atualmente a clínica conta com dez urologistas.

No bojo dessas transformações, sempre visando o avanço do UROCENTRO, transferimos a sede da clínica para um novo e amplo espaço, com arquitetura contemporânea, localizada no Edifício Advance, Quadra 915 Sul e mantivemos o braço funcional no Hospital Santa Lúcia.