Image
Image

Sintomas e tratamentos para pedras nos rins

Os cálculos renais, também conhecidos por pedras nos rins, são formações sólidas de cristais que surgem nos rins ou nas vias urinárias. Normalmente esses cristais são formados de ácido úrico, sódio, fosfato, cálcio ou cistina. São frequentes principalmente em homens e, além das intensas dores causadas, também podem bloquear as vias urinárias, rim ou bexiga.

Quais são as causas das pedras nos rins?

As principais causas que levam a cristalização de minerais nos rins é o seu excedente no organismo, especialmente o cálcio, oxalato e ácido úrico, acompanhada da diminuição de outras substâncias que impediriam a formação desses cristais, como o citrato. A medida em que os cristais se aglomeram, transformam-se em pedras. Pessoas com mais de 40 anos e/ou que possuem histórico familiar de cálculos renais tem maior propensão a desenvolver. Outros fatores de risco são obesidade, baixo consumo diário de água, dietas ricas em proteínas, cálcio e sódio (sal) e doenças no trato digestivo ou urinário.

Quais são os sintomas das pedras nos rins?

Os principais sintomas do cálculo renal são dores agudas nas regiões dos rins que são a regição lombar e abdominal inferior, indo até a região genital. É muito comum que essas dores sejam acompanhadas de náuseas e vômitos. No ato de urinar, observa-se um grande desejo seguido de uma dificuldade de expelir a urina (se as vias urinárias estiverem obstruídas pelos cálculos), além de grande ardência e presença de sangue na urina.

Diagnóstico e tratamento

Em fase inicial, o cálculo renal pode não apresentar sintomas, uma vez que os cristais são muito pequenos. Seu diagnóstico é feito com exames de sangue, urina, ultrassonografia e radiografias da região. Em fase inicial, o cálculo renal pode não apresentar sintomas, uma vez que os cristais são muito pequenos. Seu diagnóstico é feito com exames de sangue, urina, ultrassonografia, radiografia e tomografia da região. Se os cálculos renais forem identificados em período inicial, assintomático, o tratamento não é invasivo, feito pela prescrição de medicações específicas. O tratamento dependerá bastante do tipo de formação de cálculos, seu estágio e localização. Em estágios mais avançados, são prescritas também medicações para aliviar as dores. Pedras maiores não são expelidas sozinhas e podem causar sangramentos e outras lesões, como infeções ou danos mais graves nos rins. Nesses casos, existem procedimentos de retirada das pedras, que são a nefrolitotripsia transureteroscópica, nefrolitotripsia percutânea e ureterolitotripsia. Somente o urologista poderá avaliar e indicar o melhor tratamento para a remoção das pedras nos rins.

Marque agora sua consulta

Invalid Input
Invalid Input
Invalid Input
Invalid Input
Processando...

Contatos

Unidade Advance

(61) 98625-8802

(61) 3345-4200

Segunda à Sexta-Feira: 8:00 às 21:00

Sábado: 8:00 às 12:00

Unidade Santa Lúcia

(61) 3346-7612

Segunda à Sexta-Feira: 8:00 às 21:00

*Não atendemos aos sábados nesta unidade


Pesquisar

Valores

Missão

“Oferecer serviços na área de urologia com excelência e manter um atendimento humanizado”.

Histórico

Em meados de 1980, a totalidade de médicos urologistas na Capital Federal mal ultrapassava a casa dos trinta profissionais, cujas atividades se desenvolviam predominantemente no serviço público. O Hospital de Base do Distrito Federal era a unidade hospitalar onde se concentrava a maior parte destes e que tinha por escopo prestar assistência médica urológica a população de Brasília e entorno e de fomentar a formação de novos profissionais.

A prestação de serviços no setor complementar privado, em sua maior parte, era fragmentada ou mesmo praticada de forma individualista e quase sempre orbitando em torno da força do setor público.

Testemunhando o crescimento e desenvolvimento de Brasília, em 1986, quatro profissionais oriundos do Hospital de Base juntaram esforços com o núcleo do Hospital Santa Luzia, constituindo o UROCENTRO – Centro Urológico de Brasília, com sede no Hospital Santa Luzia.

O grupo inspirou-se na missão de oferecer serviços médicos na especialidade de urologia à uma clientela que, por razões diversas, demandava atendimento no setor privado, talvez por ser mais ágil e eclético.

A equipe então nascente, tinha por valores: qualidade dos serviços prestados, responsabilidade, inovação, observância dos preceitos éticos da medicina, humanização dos serviços oferecidos, atualização contínua do conhecimento da especialidade, disponibilização de novos instrumentais e tecnologias à comunidade assistida e interação com especialidades correlatas.

Em 1989, com pequenas alterações no grupo original, o UROCENTRO mesclou-se com o núcleo do Hospital Santa Lúcia e se consolidou como o primeiro grupo de especialistas em urologia de Brasília. Essa fusão levou o UROCENTRO a fortalecer suas propostas originais e a servir de modelo para a formação de outros grupos, fortalecendo o desenvolvimento da nossa especialidade em todo o DF.

Em 1992, o UROCENTRO adquiria a sua sede própria no Centro Clínico Sul, expondo-se à maior visibilidade junto ao seu público alvo e expandindo suas atividades.

No início da década de 2010, agregaram-se dois novos profissionais ao seu quadro médico, por um lado dando mais dinamismo às suas atividades e por outro promovendo a renovação dos seus quadros.

Em maio de 2011, visando dar novo fôlego a clínica e fomentar a renovação de seu quadro funcional, o grupo promoveu o desligamento de alguns profissionais, incorporou novos jovens profissionais e também estendeu um braço de atendimento no Hospital Santa Lúcia. Atualmente a clínica conta com dez urologistas.

No bojo dessas transformações, sempre visando o avanço do UROCENTRO, transferimos a sede da clínica para um novo e amplo espaço, com arquitetura contemporânea, localizada no Edifício Advance, Quadra 915 Sul e mantivemos o braço funcional no Hospital Santa Lúcia.